Guia de Paris Roteiros

O que fazer em Paris: roteiro para 3 dias

Está com viagem marcada e não sabe o que fazer em Paris durante 3 dias? Não se desespere! Eu preparei um pequeno guia para ajudá-lo a organizar um roteiro e ver tudo de melhor que a Cidade Luz tem a oferecer.

Apesar de Paris ser uma cidade relativamente pequena, ela tem inúmeras atrações. Fato é que, 3 dias é pouco tempo para visitar a cidade com calma e apreciar todas as suas belezas. Porém, com um pouco de organização dá para ir aos principais pontos turísticos e ainda descobrir cantinhos secretos e tirar muitas fotos lindas.

Eu preparei um roteiro com diferentes passeios, um para cada dia da viagem. Claro que você também pode mesclar os passeios ao invés de seguir o guia à risca, mas acredito que com base no roteiro você saberá o que fazer em Paris em 3 dias e aproveitará o máximo possível sua estadia.

No primeiro dia os passeios passam pelo circuito mais turístico de Paris, o que eu chamaria de “Paris clichê” – sem que o termo seja pejorativo, apenas se refere de fato aos lugares mais clichês da cidade. Para o segundo dia, eu preparei um roteiro pelas partes mais elegantes da cidade e reservei um tempinho para o Louvre, claro! Já para o terceiro dia, um passeio pelos lugares secretos de Montmartre, uma ida à Versalhes e na volta, descoberta dos bairros mais badalados para sair à noite.

 

Descubra o que fazer em Paris, roteiro de três dias

 

O que fazer em Paris dia 1 – Visite os principais pontos turísticos da Cidade Luz

No seu primeiro dia de visita, eu sugiro um tour pelos principais pontos turísticos de Paris. Essas primeiras 24h da sua estadia serão dedicadas aos lugares mais icônicos da capital francesa, que com certeza você já deve ter visto dezenas de vezes em cartões postais.

MANHÃ: Não tem nada mais turístico em Paris do que a Torre Eiffel e é impossível organizar uma visita à capital francesa sem incluí-la no roteiro. Eu aconselho que você comece esse primeiro dia bem cedinho. O período da manhã é ótimo para fazer fotos no monumento mais famoso do mundo sem milhares de turistas em volta.

 

nascer do sol torre eiffel

 

Para chegar até a Torre Eiffel você tem duas opções: pegar a linha 9 do metrô e descer na estação Trocadéro, local que tem uma vista privilegiada para a Torre Eiffel; ou pegar a linha 6 e descer na estação Bir-Hakeim. Eu aconselho a segunda opção, pois antes de chagar à Torre, no caminho você passará pela linda Ponte Bir-Hakeim, uma oportunidade perfeita para fazer fotos da ponte e seus famosos lampadários estilo art déco, com a Torre ao fundo.

Após visitar a Torre, siga caminho em direção à Île de la Cité. Essa é uma das partes mais antigas de Paris e também uma das mais charmosas. Aproveite para passear pelo Quartier Latin e não deixe de tomar um café na famosa cafeteria Odette. Peça os deliciosos choux à la crème, especialidade da casa. Em seguida, dê um pulo na Catedral Notre-Dame de Paris e aprecie a beleza da sua arquitetura gótica.

 

visita Paris catedral Notre-Dame

 

Não se assuste com a fila para entrar, pois a espera não costuma ser longa. Dentro da catedral, uma subida de 387 degraus até o topo das torres lhe espera, mas o sacrifício vale muito a pena. Lá de cima você poderá admirar de perto as maravilhas da catedral, como as gárgulas e os vitrais coloridos. A vista panorâmica da cidade é uma das mais incríveis.

Faça uma pausa para o almoço no restaurante Au Vieux Paris d’Arcole. Além de ser um desses lugares super “instagramáveis”, o restaurante serve culinária francesa tradicional. Não é o lugar mais barato para se comer em Paris (em torno de 39€ por pessoa), mas não é todo dia que você tem a  oportunidade de experimentar a culinária francesa em meio a uma decoração medieval.

 

explorando a Île de la Cité, Paris

 

TARDE: Após o almoço, nada como uma caminhada pelas margens do rio Sena. Nessa região você encontra, ao longo das margens, as barraquinhas dos famosos bouquinistes (livreiros, em português). A dica é comprar um livro e em seguida ir descansar no Jardin des Tuileries. O jardim do século XVI tem estilo típico francês e é o lugar ideal para passar a tarde lendo ou apenas contemplando a beleza de Paris.

No final da tarde recomendo ir dar uma volta pelo Marais, bairro parisiense jovem e descolado, cheio de gente bonita e estilosa. É um dos lugares imperdíveis da capital francesa, e uma das únicas partes da cidade a ter escapado à reforma arquitetônica realizada pelo Barão Haussmann no século XIX. O bairro conservou sua arquitetura medieval e é cheio de ruelas fofas. Passe na confeitaria Carette e compre alguns macarons e éclairs, doces típicos franceses, e vá se deliciar na Place des Vosges, a praça pública planejada mais antiga em Paris!

 

Jardim de Tuleries, Paris

 

NOITE: A medida que anoitece Paris vai se iluminando e ficando ainda mais linda e a minha dica é um passeio pela bela avenida Champs Élysées. Saindo da Place de la Concorde, siga em direção a ponte mais bonita de Paris, Ponte Alexandre III (que aparece no filme Meia-Noite em Paris, de Woody Allen). Continue pela Champs Élysées até chegar ao Arco do Triunfo.

Para terminar esse primeiro dia de descoberta dos principais pontos turísticos de Paris, nada como um pôr-do-sol visto do alto desse monumento construído entre 1806 e 1836, em homenagem à vitória das tropas francesas durante a Batalha de Austerlitz. A fila de espera para subir não costuma ser longa e lá de cima a vista panorâmica é de chorar de tão bonita. Ver o sol se pondo sobre a Cidade Luz não tem preço! Vale lembrar que no verão o sol se põe por volta das 21h30, então fique atento a esse detalhe.

 

Ponte Alexandre III, Paris

 

O que fazer em Paris dia 2 – Visita ao Louvre e passeio pela Rive Gauche

O segundo dia do nosso roteiro é para visitar um dos museus mais famosos de Paris e conhecer os lugares preferidos dos  escritores e artistas do século XX, na parte mais elegante da cidade.

MANHÃ: Não tem como planejar uma viajem à Paris e não incluir o Museu do Louvre no roteiro. O Louvre é o maior museu de artes e de antiguidades do mundo! Para se ter uma idéia, seu acervo possui mais de 500 mil peças. Como o museu é muito grande e necessitaria de um dia inteiro para uma visita completa, aconselho que você reserve a manhã para uma visita rápida. Escolha algumas obras que deseja muito ver e faça sua visita com foco nelas.

Algumas das mais famosas obras que se encontram no Louvre são: Mona Lisa de Leonardo Da Vinci, as esculturas gregas do período helenístico Vitória de Samotrácia e Vênus de Milo, o quadro A Liberdade Guiando o Povo de Eugène Delacroix e o Código de Hammurabi, o texto jurídico mais antigo já descoberto até hoje.

LEIA TAMBÉM: Visita ao Louvre: como preparar um roteiro

 

Pirâmide do Louvre, Paris

 

TARDE: Que tal conhecer Saint-Germain-des-Prés, o bairro preferido dos escritores e artistas? Depois da Segunda Guerra Mundial o bairro tornou-se uma meca da vida intelectual e cultural parisiense, notadamente com a presença de escritores como Marguerite Duras, Jean- Paul Sartre e Simone de Beauvoir, e de cineastas como Jean-Luc Godard e François Truffaut. Ainda hoje, o bairro atrai intelectuais e artistas que apreciam sua atmosfera impregnada de história e cultura.

Minha dica é que você almoce na célebre Brasserie Lipp (151, Boulevard Saint-Germain), que serve pratos famosos da culinária francesa. Depois do almoço, tome um café no terraço do Café de Flore, um dos mais antigos cafés parisienses. O bairro é um dos mais sofisticados da cidade e os destaques são as butiques de luxo, os cafés tradicionais, os hotéis 5 estrelas e as lojas de antiguidades.

Não deixe de visitar também a igreja de Saint Sulpice, construída entre os séculos XVII e XIX e maior igreja de Paris, depois da Notre-Dame. Ainda nessa região está localizado o Le Bon Marché (24 Rue de Sèvres), a mais antiga loja de departamento da França. Não deixe de dar uma entrada para ver as belas vitrines. Passe também na Grande Épicerie de Paris para comprar produtos típicos e gourmetizados como fois gras (para quem gosta), chocolates finos, azeite trufado, entre outros.

 

Arquitetura parisiense

 

NOITE: No fim da tarde, comecinho da noite, eu recomendo um passeio pela Rive Gauche de Paris. O termo Rive Gauche (margem esquerda, em português) designa em Paris a parte da cidade localizada na margem sul do Sena. Histórica e culturalmente, a margem esquerda do rio Sena sempre foi considerada a parte mais “nobre” da cidade. Nessa parte de Paris estão alguns ateliês de alta costura, os icônicos Café de Flore, Brasserie Lipp e café Les Deux Magots (todos no bairro de Saint-Germain), a célebre universidade Sorbonne no Quartier Latin, entre outros.

Uma grande parte dos intelectuais parisienses viviam (e ainda vivem) nessa área da cidade. No bairro Montparnasse estão localizados alguns dos mais famosos cafés artísticos e literários, como o La Coupole e o Le Dôme. Escolha um deles e termine o segundo dia desse roteiro com uma taça de vinho rosé.

O que fazer em Paris dia 3 – Cantinhos secretos e Palácio de Versalhes

Tendo explorado as partes mais “turísticas” da cidade, seu terceiro dia em Paris será mais focado em conhecer a cidade sob outro ângulo. Claro que não podíamos deixar de incluir também uma visita ao Palácio de Versalhes.

 

Sacré Cœur, Paris

 

MANHÃ: Comece o dia cedo com um passeio pelo belo bairro Montmartre. Entre vinhedos e moinhos de vento, o bairro foi durante o século XIX um dos centros da vida artística parisiense. A parte “secreta” de Montmartre fica logo atrás da Basílica de Sacré-Cœur: ruelas de paralelepípedos, casas de tijolinhos e seus jardins floridos vão fazer você se sentir em um vilarejo do interior da França.

No número 2 da Rue de l’Abreuvoir está uma das casas mais famosas de Montmartre, La Maison Rose. Datada do século XVIII, ela se tornou conhecida no mundo todo graças aos quadros do pintor Maurice Utrillo. Após fazer umas fotos desse local icônico, passeie pelas ruas charmosas e arborizadas e em seguida desça em direção à Rue des Abbesses até chegar na Rue Lepic, onde se encontra o Café des Deux Moulins, local onde foi gravado cenas do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain.

Na hora do almoço passe em uma padaria e compre um sanduíche na tradicional baguette francesa, algumas guloseimas e se dirija até o parque Buttes-Chaumont para um piquenique. O parque é um dos maiores espaços verdes de Paris e como fica em uma colina, tem uma vista linda da cidade.

 

Montmartre, Paris

 

TARDE: Nossa próxima parada é o esplêndido Palácio de Versalhes. Classificado há 30 anos como patrimônio mundial da humanidade, o palácio é uma das mais belas realizações da arte francesa do século XVII. Para chegar até lá, a melhor opção é usar o transporte público. Pegue o trem RER C e desça na estação Versailles Rive Gauche. O ingresso para a visita completa custa 20€ e inclui: a visita do castelo com audioguia, acesso às exposições temporárias, ao Trianon e aos jardins.

Dentro do castelo você vai se maravilhar com a Galeria dos Espelhos, o Apartamento do Rei, a Ópera Real, a Galeria das Batalhas, a Capela Real, o Grande Apartamento da Rainha, entre muitas outras salas cheias de peças de arte e decoração do século XVII. Ao final da visita dê uma passada no Café Angelina para degustar o delicioso chocolate quente l’African e a especialidade da casa, o mont-blanc, um bolo típico francês feito a base de puré de castanhas e chantilly.

 

Palácio de de Versalhes, Paris

 

NOITE: De volta à Paris, nada melhor do que conhecer uma das áreas mais hypadas da cidade. Ao cair da noite, a região entre os bairros Canal Saint-Martin, République e Oberkampf fica cheia de agitos. Por lá encontram-se muitos bares descolados e bons restaurantes. Na Rue Oberkampf, o Café Charbon, datado de 1900, conta com um belo terraço e uma decoração bem ao estilo Segundo Império.

Localizado na mesma rua, o bar e restaurante Aux Deux Amis é bastante procurado na hora do apéro. Às margens do canal Saint-Martin encontra-se ainda o Comptoir Général, com decoração colonial e um gabinete de curiosidades. Fica idealmente localizado, um pouco afastado da agitação, perfeito para quem busca um lugar mais tranquilo. O cardápio de coquetéis, inspirados na África, é bem original. Nos fins de semana é preciso chegar cedo porque a fila de espera costuma ser grande depois das 20h. Aos domingos o restaurante serve um brunch imperdível.

Antes de voltar para o hotel, faça uma última visita à Torre Eiffel, para vê-la iluminada. A cada hora cheia as luzes começam a piscar e é simplesmente a coisa mais linda que você vai ver durante a sua viagem. Mesmo morando na França há quase 10 anos, sempre me emociono quando vejo a Torre Eiffel  toda iluminada!

Dicas e informações úteis

 

Dama de Ferro, Paris

 

Qual a melhor época para ir?

O verão em Paris costuma ser muito quente e a cidade fica muita cheia, pois é a época em que a maioria das pessoas viajam por conta das férias escolares. Eu particularmente não acho o melhor momento para visitar a cidade. Já no inverno, as temperaturas podem cair bastante, chegando a fazer -5°C. Se você quer ter essa experiência de visitar Paris no inverno, o melhor mês é dezembro.

A melhor época para visitar Paris é durante a primavera, por volta do final do mês de abril e início de junho. Além de pegar a época da floração e ver Paris toda florida, as temperaturas são agradáveis, em torno de de 15°C ou mais, dependendo do ano. O outono também é uma época boa, pois a cidade fica linda, cheia de árvores com folhagens em tons de amarelo e vermelho. A temperatura média é de 11ºC.

Onde se hospedar e o que comer?

Na minha opinião, a melhor forma de hospedagem para quem não quer gastar muito é alugando um apartamento pelo Airbnb. Se você vier sozinho (a) ou em casal, é possível alugar um studio em um bairro legal à partir de 30€ por noite. Outra vantagem de ficar em apartamento é que você geralmente tem uma cozinha com pelo menos um microondas, o que possibilita preparar sua própria comida e fazer algumas economias.

Recomendo tirar um dia da viagem para comer em um bom restaurante francês, afinal, a culinária também faz parte da descoberta cultural de um país. Nos demais dias, compre e prepare sua própria comida. A rede de supermercados Monoprix tem lojas por toda a cidade e você encontra de tudo, inclusive frutas e legumes. Outra rede de supermercados bem bacana é a Picard, especializada apenas em comida congelada. Eles tem uma grande variedade de pratos e o preço é excelente.

Como se locomover?

Sempre digo que Paris é uma cidade feita para ser explorada a pé, pois cada canto da cidade é mais lindo que o outro. A maioria dos passeios desse roteiro podem ser feitos a pé, por isso não recomendo comprar o Paris Visite Pass (ticket válido por 3 ou 5 dias), pois sairia muito caro. O ideal é comprar tickets de metrô avulsos (1,90€ cada ou 14,90 o carnê de 10 tickets) para se locomover dentro de Paris. Para ir à Versalhes é preciso comprar um ticket especial, que custa por volta de 5€, dependendo do local de partida.

NÃO DEIXE DE LER:

Transporte público em Paris: guia prático

5 motivos para se apaixonar pela Provença

Primavera em Paris: onde ver as flores

Espero que você consiga encontrar as informações que procura e que esse roteiro o ajude a organizar uma viagem incrível à Paris.

Glicia ♡

 

 

 

 

 

4 Comments

  1. Fabíola

    26 August 2018 at 17 h 19 min

    Glicia, amei esse roteiro. Quanto custa em média uma viagem de 3 dias a Paris como a que você descreveu? Outa dúvida, saber se comunicar em inglês é o suficiente para uma boa estadia na cidade?

    1. Glicia

      5 September 2018 at 15 h 54 min

      Oi, obrigada por comentar 🙂

      Não saberia dizer exatamente quanto custaria uma viagem de três dias saindo do Brasil, principalmente com a cotação atual do dólar que tem flutuado muito. O que posso dizer é que você gastaria em média entre 400€ e 600€ (um casal) para passar três dias (hospedagem, alimentação, passeios, museus, etc). Eu estou dando uma média de preço bem larga, pois estou contando + ou – 100€ por dia de hospedagem em hotel, mais 100€ por dia para comer, fazer os passeios e ainda sobrar um pouco caso surja uma emergência. Mas, dá para achar hospedagem por volta de 40€ por noite em hostel ou alugando pelo Airbnb, e dá para comer em lugares bem simples como padarias ou cozinhar (caso você esteja em um apartamento). Os valores gastos por dia também vão depender dos lugares que você deseja visitar. Os museus por exemplo, variam de 12€ a 18€ em média, para subir na torre está saindo uns 14€ e por ai vai… Paris também tem muita coisa a ser vista apenas andando pelas ruas. Teria que colocar no papel tudo que você quer visitar, ver os custos da hospedagem e calcular quanto gastaria com comida por dia para ter certeza de não faltar dinheiro.

    2. Glicia

      5 September 2018 at 15 h 58 min

      Ah, esqueci de falar sobre o inglês hahaha! Sim, dá pra se virar em inglês, pelo menos nos lugares turísticos.

  2. Fabíola

    6 September 2018 at 21 h 35 min

    Entendi. Muito obrigada!

Leave a Reply