Guia de Paris Roteiros

Visita ao Louvre: como preparar um roteiro

Já pensou em planejar sua visita ao Louvre? Se você procura sugestões de como planejar bem sua visita e dicas sobre como montar um roteiro, não deixe de ler este post.

O Louvre é o maior museu de artes e de antiguidades do mundo! Para se ter uma idéia, seu acervo possui mais de 500 mil peças. Foi inaugurado em 1793, no Palácio do Louvre, antiga residência real situada no coração de Paris. A famosa pirâmide de vidro – hoje considerada um símbolo do museu e objeto de controvérsias do ponto de vista artístico e arquitetônico – só foi construída em 1989.

 

dica roteiro de vista ao Louvre

 

Visita ao Louvre – Um pouco de história

O Louvre tem uma longa história de conservação artística e histórica desde a época do Antigo Regime. Após a partida do rei Luís XIV para o Castelo de Versalhes no final do século XVII, boa parte das coleções pertencentes à família real, dentre elas pinturas e esculturas antigas, ficaram guardadas no Palácio do Louvre.

Durante mais de um século o palácio abrigou diferentes academias de arte, como a célebre Academia Real de Pintura e Escultura de Paris, e alojou diferentes artistas à convite do rei. Foi somente após a Revolução Francesa e a queda do Antigo Regime que o local foi oficialmente transformado em museu.

Tão procurado quanto a Torre Eiffel, o Louvre é um dos símbolos mais fortes da Cidade Luz e uma atração imperdível. Não tem como organizar uma viagem para Paris sem inclui-lo no roteiro! No entanto, devido ao seu tamanho, é impossível ver tudo em apenas 1 dia.

Seriam necessários vários dias para conseguir ver todo o acervo, mas como raramente um turista tem tanto tempo assim disponível, o ideal é otimizar o tempo da viagem para conseguir visitar o máximo de atrações turísticas possíveis.

 

Vênus de Milo, século II a.C. / Foto via Shutterstock 

 

Planeje sua visita ao Louvre

Todos que veem à Paris sonham em fazer uma visita ao Louvre, museu mais famosos da capital. Como o museu é gigantesco, para não se perder lá dentro e conseguir ver as principais obras em 1 dia, eu sugiro que você faça um roteiro. É muito fácil se distrair apreciando as belezas do local e acabar estendendo a visita por mais tempo que o desejado. Se sua estadia na capital francesa é curta, organizar cada detalhe da sua viagem é essencial para aproveitar ao máximo.

Eu já visitei o Louvre umas 4 vezes. Nas 3 primeiras fui sem planejamento e consegui ver as duas obras que mais me interessavam: a Mona Lisa e a Vênus de Milo. Mas, passei horas errando sem rumo pelo museu. Na minha última visita ao Louvre fui mais organizada, dei uma olhada no mapa antes de ir e consegui ver, de fato, mais coisas. Então, minha primeira dica é que você estude o mapa antes da visita. Faça uma lista das peças que mais lhe interessam e veja no mapa onde elas estão localizadas.

Tem gente que prefere decidir o que vai ver na hora da visita, dá uma olhada rápida no mapa e vai! Se seu objetivo é apenas conhecer o museu de forma geral, talvez essa opção possa funcionar para você. Mas, se assim como eu o que você busca é uma experiência mais aprofundada e aproveitar esse momento único que é visitar um dos museus mais famosos do mundo, eu tenho algumas dicas e conselhos indispensáveis.

Estude o mapa do museu

Independente de você ter muito ou pouco tempo disponível, na minha opinião visitas e roteiros programados com antecedência são a melhor opção. Nem sempre os mapas são fáceis de decifrar e você não quer perder seu precioso tempo, não é mesmo. Então, imprima o mapa do Louvre aqui e comece a preparar o roteiro da sua visita agora mesmo.

 

Mapa indicando as entradas do Louvre / Fonte via site oficial do Louvre

 

O Museu do Louvre é um grande palácio, um edifício composto por três alas, vários andares e muitas salas. Localizar-se lá dentro pode ser um pouco difícil para quem chega sem ter a menor idéia por onde começar. As coleções são divididas em 8 setores, cada um representado por uma cor.

Por exemplo, as antiguidades egípcias são identificadas pela cor verde, as pinturas pela cor vermelha, já as antiguidades gregas, etruscas e romanas estão sinalizadas pela cor azul e assim por diante. Cada setor possui muitas salas e todas são identificadas por números (sala 1, 2, 3…).

Tanto o mapa do museu quanto os diferentes terminais de informações disponíveis no local, bem como as placas de localização, seguem o mesmo padrão e usam os mesmos códigos de cores e números para facilitar o entendimento. Na verdade, tudo dentro do Louvre é feito para facilitar sua visita e torná-la uma experiência agradável.

Os diferentes serviços oferecidos pelo museu

O museu oferece alguns serviços gratuitos que podem facilitar ainda mais sua visita como Wi-Fi, empréstimo de carrinhos de bebê, ajuda para quem tem mobilidade reduzida, entre outras coisas. Para ter acesso a esses serviços basta falar com algum dos funcionários ou se dirigir até a recepção no subsolo.

Outra dica que pode ajudar a otimizar seu tempo é fazer a visita com um audioguia, que você pode alugar na recepção (hall de entrada). Eu confesso que antes achava isso uma besteira, mas desde que comecei a visitar museus com audioguia não consigo mais viver sem! Além das explicações sobre as peças, a visita é muito mais focada e você consegue ver as principais atrações do museu.

Se você quiser ter o audioguia no seu smartphone, existe um aplicativo gratuito para iOS e Android. A única coisa chata é que infelizmente eles ainda não oferecem a visita em português, somente em francês, inglês, alemão, espanhol, italiano, japonês e coreano.

Vale lembrar que além do acervo permanente, o Louvre também recebe exposições temporárias. Para ficar por dentro da programação cultural do museu, você pode conferir a agenda de atrações aqui.

Entenda como é o Louvre

Como mencionei acima, o Louvre é um palácio cheio de salas e é dividido em 3 alas e 5 pisos. É muito fácil se perder lá dentro, mas não se preocupe, pois vou explicar tudo certinho. Primeiramente, é importante você saber como chegar até lá! A forma mais simples é usando o transporte público e já tem um post aqui no blog sobre como usar o metrô em Paris.

 

roteiro de visita ao Louvre

Palácio do Louvre / Foto autoral

 

Para quem vai de metrô, a estação mais próxima é Palais Royal-Musée du Louvre (linha 1 amarela). Não se preocupe, pois há muitas placas de localização dentro da estação e você encontrará a entrada do museu com facilidade. Seguindo as placas você irá sair no Carrousel du Louvre, um mini shopping bem bacana que fica no subsolo, ao lado do hall de entrada principal. A outra entrada para o Louvre mais conhecida é pelo pátio onde fica a pirâmide, a qual você pode ter acesso pela Rue de Rivoli.

O edifício possui 5 pisos:

  • subsolo, onde fica o hall de entrada (-2)
  • mezanino (-1)
  • térreo (0)
  • primeiro andar (1)
  • segundo andar (2)

O espaço no Louvre é dividido em 3 alas: Richelieu, Denon e Sully. O acesso para as alas fica no mezanino e basta subir a escada rolante correspondente a cada ala. Para entrar você deve apresentar seu ingresso e para ir de uma ala até a outra sem ter que voltar ao hall principal, basta usar as passagens adjacentes que ligam uma ala à outra.

Minha dica é que você organize sua visita por alas, pois dessa forma você não irá se perder e conseguirá ver todas as peças que deseja. Conhecer bem o mapa do museu e saber o que você gostaria de ver antes da visita vai ajudá-lo a ter uma experiência muito mais agradável!

Acervo do Louvre: o que você não pode deixar de ver

O Museu do Louvre possui diversas coleções de obras de arte de diferentes civilizações, culturas e épocas. O acervo é gigante e contém cerca de 460 mil peças, sem contar as que se encontram em outros museus, mas que permanecem inscritas no inventário do Louvre, totalizando mais de 500 mil peças ao todo. As coleções são divididas em 8 setores:

  • antiguidades egípcias
  • antiguidades orientais
  • antiguidades gregas, etruscas e romanas
  • esculturas medievais, renascentistas e modernas
  • objetos de arte medievais, renascentistas e modernos
  • artes gráficas
  • artes islâmicas
  • pinturas

 

Mona Lisa, Leonardo Da Vinci / Foto via Unsplash

 

A maior dificuldade na hora de programar a visita é saber o que ver. Todas as obras têm um interesse, seja do ponto de vista histórico ou artístico, mas seria impossível ver tudo em apenas uma visita. O que, de certa forma, é um ponto positivo, pois a cada viagem a Paris você pode dar um pulinho no Louvre e descobrir peças diferentes.

Você pode ir ao Louvre simplesmente para passear pelas belas galerias do museu. Você verá dezenas, milhares de obras de arte, mas meia hora depois você se sentirá entediado. Nem todo mundo tem paciência de parar para ver peça por peça, ler as descrições, datas, etc.

Museus tão grandes como o Louvre, na minha opinião, devem ser visitados com foco. Por isso, eu preparei uma lista com as 10 peças que considero imperdíveis. A lista foi baseada na minha experiência pessoal, em algumas pesquisas sobre as obras mais visitadas no Louvre e a relevância histórica e artística de cada uma.

1. Mona Lisa – Ala Denon, piso 1, sala 6

Claro que a primeira peça dessa lista tinha que ser a icônica Mona Lisa de Leonardo Da Vinci. A título de curiosidade, essa é a obra de arte mais visitada do mundo – mais de 20 mil pessoas por dia! O quadro é bem enigmático e emana um certo mistério. As cores são surreais de lindas, bem diferentes do que vemos em fotos ou na televisão.

Minha dica é já deixar a câmera ou celular preparados para a foto, pois como todo mundo vai ao Louvre para ver a Mona Lisa, não é possível ficar muito tempo observando o quadro e nem tirando fotos. Aliás, essa foi uma das minhas grandes decepções quando fui ao museu pela primeira vez. É tanta gente, tanta muvuca, que você mal tem tempo de apreciar toda a beleza dos detalhes.

2. Vênus de Milo – Ala Sully, piso térreo, sala 16

A Vênus de Milo é uma famosa escultura grega e sua origem remonta ao século II a.C. Seu nome vem da ilha onde a estátua foi encontrada, a ilha de Milos na Grécia. Acredita-se que seja uma representação da deusa grega Afrodite, mas não há fontes seguras que confirmem isso. A estátua foi esculpida em mármore branco e mede cerca de 2 metros de altura. Imperdível!

3. O Código de Hammurabi – Ala Richelieu, piso térreo, sala 3

Se trata de um texto jurídico de origem babilônica e é o texto legislativo mais extenso da Antiga Mesopotâmia. É também o código de leis mais antigo já descoberto até hoje.

4. Vitória de Samotrácia – Ala Denon, piso 1, patamar da escada

A Vitória de Samotrácia, ou Nice de Samotrácia como também é conhecida, é uma escultura grega do período helenístico. A estátua representa a deusa grega Nice, personificação da vitória, força e velocidade. A escultura é realmente impressionante, mede mais de 2 metros de altura e domina majestosa o patamar da escada da ala Denon. Não tem como passar despercebida!

5. A Virgem das Rochas – Ala Denon, piso 1, sala 5

Também conhecida pelo título de Madona das Rochas, se trata de duas obras quase idênticas, pintadas por Leonardo Da Vinci. Uma das obras encontra-se no Louvre e a outra na National Gallery, em Londres. A versão exposta no Louvre foi pintada por volta de 1483-1486. O quador mostra bem a precisão da técnica de constrastes de sombra e luz que Da Vinci desenvolveu.

6. O Escriba Sentado – Ala Sully, piso 1, sala 22

Particularmente, eu gosto bastante dessa escultura egípcia. Talvez não seja a peça de arte mais interessante do mundo, mas quando você descobre que ela tem mais de 4.500 anos, o valor histórico a torna automaticamente  muito especial.

O Escriba Sentado, 2600 a.C. / Foto via Shutterstock

 

7. As Bodas de Canaã – Ala Denon, piso 1, sala 6

Pintura emblemática do Museu do Louvre, se trata de uma obra de Paolo Veronese, artista italiano. Esse óleo sobre tela foi pintado em meados do século XVI e mede (apenas) 6mx10m! Por estar na mesma sala que a Mona Lisa, normalmente os visitantes não se atentam muito para ele, mas vale a pena dar uma paradinha para observar a riqueza de detalhes.

8. A Liberdade Guiando o Povo – Ala Denon, piso 1, sala 77

Óleo sobre tela de Eugène Delacroix, A Liberdade Guiando o Povo é outra famosa pintura do Museu do Louvre! Ela é hoje conhecida como um símbolo da democracia e da república francesa. Quando você se pergunta o que ver no museu, esse quadro não pode ficar de fora da lista.

9. Psique e Eros – Ala Denon, mezanino, sala 4

Obra de Antonio Canova, a estátua neoclássica esculpida em mármore polido representa o momento em que Eros, deus do amor, reanima sua amada Psique com um beijo.

10. Estátua do Faraó Ramses II – Ala Sully, térreo, sala 12

Uma escultura gigantesca do famoso faraó. Esculpida em pedra, ela representa Ramses II sentado em seu trono. O setor de antiguidades egípcias é um dos mais legais do Louvre. Além dessa, você encontrará diversas outras estátuas, sarcófagos, múmias e frisos incríveis.

Informações importantes

  • O museu abre todos os dias da semana das 9h as 18h, exceto às terças-feiras;
  • Nas quartas e sextas o Louvre fecha mais tarde, as 21h45;
  • Entre março e outubro a entrada é gratuita todos os primeiros domingos do mês;
  • O ingresso custa 15€, mas se você não quiser enfrentar fila pode comprar com antecedência neste site. Custa um pouco mais caro, porém vale muito a pena, pois dependo da época o tempo de espera na fila pode ser longo;
  • O Louvre também oferece a opção de visita com guia (somente em inglês ou francês). Para reservar clique aqui.

Caso você já tenha visitado o Louvre, conte para a gente nos comentários como foi sua experiência e deixe suas dicas e sugestões.

Glicia ♡

2 Comments

  1. Ane

    3 July 2018 at 18 h 57 min

    Glicia , que belo post! Se eu tivesse essas informações quando fui para o Louvre com certeza teria aproveitado mais rsrs !
    Acabei meio que fazendo p quenvoce indicou que foi escolher a ala da antiguidade egípcia pé me concentrar , mas com certeza ali é tão lindo que da pra se perder fácil fácil !
    Parabéns pelo post e pelo blog 💓

    1. Glicia

      3 July 2018 at 21 h 44 min

      Ane, obrigada pelo apoio, amiga. Eu também gostaria de ter sido mai organizada desde a primeira vez que fui. Você precisa voltar para Paris para irmos juntas 🙂

Leave a Reply